Estive, durante os últimos dias, a refletir sobre o que é a autonomia num sentido aplicável desta palavra. Então, a princípio, pensei nas minhas experiências e em como pautar a autonomia se tornou algo importante na minha vida. Começou (creio eu) quando me interessei pela Permacultura e passei a estudá-­la. A Permacultura tem três princípios éticos: cuidar da terra, cuidar das pessoas e repartir os excedentes; e outros doze princípios de design. Pode ser considerada uma ciência, um método de planejamento ou uma filosofia, que pauta a autonomia, fazendo com que os indivíduos que a estudam sejam mais questionadores e passem a ser responsáveis (ou conscientes) pela/o sua/seu produção/consumo de comida, lixo, energia, água… Ou seja, ter uma visão holística (do todo) ao invés de ter uma visão das partes (mecanicista).

flor_principios1
A flor da permacultura, com  os três princípios éticos no centro e com os de design em volta. Todos os princípios influenciam nas pétalas.

    Assim, cheguei num ponto onde precisei de outras opiniões, pois a minha visão de mundo aqui exposta poderia reduzir ou excluir as visões de outras pessoas. E mesmo que busquemos a autonomia no nosso cotidiano, precisamos compreender como nós somos interdependentes, temos relações interpessoais, pois tudo que nós usufruímos em nossas vidas, material ou não (energia, por exemplo) passou por muitas mãos até chegar até nós. Somos uma rede de pessoas interligadas e interdependentes. Então, após ouvir opiniões de amigos, pude entender que na verdade é possível reduzir o sentido da autonomia aplicável a uma breve explicação: No dicionário autonomia significa independência, liberdade ou autossuficiência. O antônimo de autonomia é heteronomia, que significa dependência, submissão ou subordinação. Então a autonomia é uma condição onde um indivíduo (ou um grupo) passa a fazer as escolhas daquilo que quer vivenciar e, portanto, passa a gerir livremente sua própria vida. Logo autonomia é uma condição a ser praticada, se não, fica­-se apenas no ‘mundo das ideias’. Mas como realizar? A partir das observações, tomamos consciência das necessidades que temos, ou das demandas que os meios (físicos ou não) nos cobram, e então usamos a criatividade para colocar em prática nossa autonomia. E, de preferência, sempre respeitando a natureza.

    Continuaremos a abordar a autonomia em cada post, dica ou produto que expusermos neste blog. Se este assunto lhe interessou, fique a vontade para comentar ou entrar em contato conosco.

Com carinho,

Kalu

Publicado por:Espiral de Ervas

feito por Marcella Lemos e Ana Velho

Um comentário sobre ldquo;Uma breve abordagem sobre autonomia

  1. Muito interessante a questão da autonomia, pois através de pesquisas e trocas de ideias e métodos alternativos e mais saudaveis instiga-se a capacidade que cada pessoa tem e acredito que como consequencia a descentralização do poder de poucos sobre muitos.

Deixe uma resposta