Que tal aprender como fazer pasta de dente natural? Muitos não sabem, mas a pasta de dente convencional contém substâncias que podem ser nocivas a saúde, principalmente quando o uso é excessivo.

Na composição você encontrará:
Laurilsulfato de sódio – o queridinho da industria cosmética, utilizado também em shampoos e sabonetes. Esse detergente é responsável pela espuma que a pasta faz e se já vemos os danos no cabelo e na pele, imagina na sua boca?!?!

Substâncias antibacterianas (clorexidina, triclosan, grantez) – podem causar irritações na pele em pessoas sensíveis e o que é pior pode promover a resistência de determinadas bactérias. Para quem não conhece, o Triclosan é considerado um éter difenil policlorado (PBDE), pertencente ao grupo dos fenóis e éteres. Ele é capaz de inibir o desenvolvimento de fungos, vírus e bactérias. Em baixas concentrações, ele impede o desenvolvimento de bactérias; e em altas concentrações, ele provoca a morte destes organismos. Os fénois por sua vez, são tóxicos para seres vivos, provocando efeitos danosos à saúde (como a progressiva perda de peso e diarreia) e é altamente prejudicial para pele, olhos e mucosas humanas, fazendo com que essas partes tornem-se vulneráveis à absorção de outras substâncias.

Abrasivos – presente de 20% a 50% na composição, tem como função principal polir os dentes. Quando maior forem suas particular, maior o risco de causar danos permanentes no esmalte do dente. Pastas de dente clareadoras são as campeãs em abrasivos.

Monofluorfosfato de sódio – O flúor apesar de importante para a remineralização dos dentes e a prevenção de cáries, quando consumido em  excesso pode causar fluorose e alguns estudos mostram até queda de QI associada ao flúor. E, atualmente, a água encanada já possui altas doses de flúor, não sendo necessário seu uso no creme dental. Encontre mais informações sobre os malefícios do flúor aqui.

Além disso, para manter a mistura homogênea e evitar que ela resseque, são utilizados agentes aglutinantes e umectantes. E não podemos esquecer dos flavorizantes sintéticos que dão aquele gostinho de pasta de dente na sua boca e em tudo que você consome depois.

Que tal se ver livre de todas essas químicas e ainda manter seus dentes lindos e saudáveis? Vamos ensinar você a fazer uma pasta de dente natural incrível!

UTENSÍLIOS
– Refratário de vidro ou cerâmica para fazer a mistura
– Colher ou espátula
– Frasco de vidro com tampa para armazenar

INGREDIENTES
20g Dolomita
– 5 colheres de sopa de chá de sálvia (usar água destilada aumenta a durabilidade)**
– 2 gotas de óleo essencial de menta
– 2 gotas de óleo essencial de melaleuca
– 5 gotas de Extrato de própolis (opcional)

** O chá mesmo quando coado, pode deixar resquícios de particulas ôrganicas e essas por sua vez podem atrair microorganismos,

PASSO A PASSO

  1. Faça o chá utilizando um copo de água fervente para 4 colheres de sopa de folha.
  2. No refratário de vidro coloque três colheres de sopa de dolomita bem cheias
  3. Depois adicione o chá morno ou frio (aproximadamente 30 ml) e misture bastante.
  4. A pasta deve ficar numa consistência cremosa, se tiver muito ralo adicione mais dolomita.
  5. Depois adicione os óleos essenciais e o própolis.
  6. Misture bastante novamente e armazene no potinho de vidro devidamente esterilizado.

VALIDADE
Aproximadamente 1 mês. Para fazer em maior quantidade indicamos o uso do conservante natural (ECOCERT) Leucidal Liquido (Leuconostoc/Radish Root Ferment Filtrate) que é indicado para produtos de higiene bucal natural. Assim você consegue uma validade de até 4 meses.

ESCOVAÇÃO

É idêntico ao tradicional, ante de usar agite a pasta para garantir que a mistura estará homogênea e com a ajuda de uma espátula retire uma pequena quantidade, aplicando-a na escova. USE FIO DENTAL!

OBS: Se você está com problemas de gengivite, prefira o chá de sálvia e utilize 7 gotas de óleo de copaíba para potencializar o efeito.

Esperamos que você tenha gostado desse post, qualquer dúvida você pode deixar um comentário.

Assista o vídeo abaixo para você acompanhar o processo:

Publicado por:Espiral de Ervas

feito por Marcella Lemos e Ana Velho

11 comentários sobre “Como fazer pasta de dente natural?

    1. Olá!
      Oleoresina de Alecrim não é conservante e sim antioxidante.
      O nipaguard não é recomendado nesse caso por conta da risco de ingestão.
      Eu faço essa receita bem pequena e uso em pouco tempo, mas sei que tem a possibilidade de usar como conservante uma mistura de Sorbato de potássio e Benzoato de sódio, apenas nunca testei para saber como funciona.

      1. Pelo que indica nos laudos técnicos, dos benzoato e sorbato, eles atuam na faixa abaixo de 5,0 e 6,5. Como a receita tem ph próximo a 7,0; fiquei com essa dúvida, pq realmente é um conservante mais acessível.

Deixe uma resposta