Primeiramente, antes de fazer uma receita de condicionador é fundamental entender a formulação do condicionador sólido, para saber o que é essencial, a origem e a função de cada produto.

O ingrediente primordial para fazer um bom condicionador sólido é a cera emulsificante. Esse ingrediente gera muitas dúvidas, porque quando pensamos em ceras, pensamos logo em carnaúba, candelila ou cera de abelha.

Essas ceras NÃO são ceras emulsificantes e sim ceras oleosas ou ceras reais. São derivadas de folhas, cascas e frutos de plantas ou são separadas de óleos vegetais. Ou seja, NÃO SUBSTITUEM CERAS EMULSIFICANTES.

As ceras emulsificantes podem ser completas ou incompletas. Para fazer o uso das ceras incompletas é ter mais experiência com cosméticos naturais porque você precisará conhecer bem os co-emulsificantes.

Três ceras emulsificantes catiônicas e completas:

BTMS-25 – INCI: Behenyl Trimonium Methosulfate (and) Cetearyl Alcohol
Emulsense HC – INCI: Brassicyl isoleucitane Esylate & Brassica Alcohol
Aminosensyl HC – INCI: Brassica Alcohol & Brassicyl Valinate Esylate

Conhecendo as ceras emulsificantes

BTMS: Talvez seja a mais conhecida e também a mais acessível entre as três. É comum encontrarmos receitas de condicionador sólido usando ela.
Os fornecedores que a gente encontra na internet a nomeiam como biodegradável e ecológica. Mas a verdade é que ela não é tão natural assim. Essa cera NÃO É certificada para cosméticos naturais nas listas ECOCERT/COSMOS e não é totalmente biodegradável, pode ser tóxica para alguns organismos marítimos. Além disso, algumas pessoas podem apresentar reações alérgicas.

Emulsense HC: derivada de fermentação e materiais vegetais. Ela é mais cara que a BTMS, mas é possível encontrar em fornecedores para pessoa física na internet.
A taxa de uso recomendada é de 6,5 até 16%. O pH dela é um pouco mais baixo do que o desejado, por volta de 3,5 e o fabricante afirma que para aumentar esse pH é preciso usar arginina. 

Aminosensyl HC: 100% biodegradável e vegana. Precisa de uma taxa menor de uso para garantir efeitos condicionantes entre 3 a 6%. Seu pH encontra-se entre 3,9 e 4,5 não sendo necessário nenhum ajuste.
O único problema desta cera é que ainda não encontramos facilmente para vender para pessoas físicas. Então é preciso correr atrás de grupos de formuladores que compram em quantidade e dividem entre si. Mas acredito que é uma questão de tempo até que ela fique mais acessível, visto que ela é ótima de trabalhar e atende os requisitos das certificadoras ECOCERT/COSMOS.

Repare que essas taxas de uso estão em um valor mais elevado nas formulações sólidas, visto que essa versão é um condicionador super concentrado.

A fórmula e as porcentagens


Para alcançar a textura ideal do condicionador sólido, potencializar o efeito emoliente e estabilizar a formulação, é usado o Álcool Cetílico. Produzido a partir de óleos vegetais de coco ou de palmiste. É um álcool sólido, classificado como álcool graxo

ÁLCOOL CETÍLICO
ÁLCOOL CETÍLICO

A fórmula da receita, normalmente, é: 60% cera emulsificante, 10% álcool cetílico e 30% manteigas e óleos vegetais, proteínas hidrolisadas, pantenol vegetal, óleos essenciais e conservante. 

IMPORTANTE

Antes de começar a formular e fazer seus condicionadores sólidos é necessário entender os ingredientes da sua composição.

Recomendo que vocês tenham sempre mais de uma fonte de pesquisa, pois é complicado ter apenas uma fonte de informação como sendo absoluta.

Assista o vídeo abaixo referente ao post:

Espero que vocês tenham gostado desse post, qualquer dúvida você pode deixar um comentário.

Por Marcella Lemos e Ana Velho

Lista de produtos liberados pela COSMOS

Site para consultar informações sobre ingredientes

Publicado por:Espiral de Ervas

feito por Marcella Lemos e Ana Velho

32 comentários sobre “Formulação do condicionador sólido

  1. Achei uma dissertação para mestrado bacana sobre condicionador natural na net, ele explica umas coisas e formulações
    chama “Desenvolvimento de uma formulação para um condicionador de cabelo biológico” de Diana Filipa- novembro de 2018

  2. Achei uma dissertação de mestrado bem bacana sobre chama “Desenvolvimento de uma formulação para um
    condicionador de cabelo biológico” de Diana

  3. No 4:40min do video vc fala em usar a Emulsence em maior quantidade para sólidos. Deve-se seguir os 60% que vc indica? Qual a quantidade que vc usaria? Parabens, vc é uma simpatia e seus videos sao muito legais.

  4. Agradeço demais pelo seu post.É muito difícil achar informações sobre esses componentes do condicionador! Sobre as alternativas ao BTMS, Já havia procurado há um tempo e vc resumiu tudinho muito bem!

    1. Olá, Diva!

      Esse ebook está na fase final de elaboração e será lançado no mês que vem.
      Será um ebook completo de cosmética capilar com receitas de shampoo e condicionador sólido, além de algumas receitas de creme sem enxágue 😀

  5. Bom dia, fiz uma formulação de condicionador sólido com 15% de Emulsense e ele ficou com uma poça de óleo em cima do produto. Tentei aumentar a concentração de alcool cetílico porém sem resultados satisfatórios, gostaria de saber como consigo arruma-lo

  6. Olás, muito bom o post! Podem me passar as fontes das referências que fala do impacto do BTMS para a vida marinha?

    1. Olá, Luciana!
      Essa informação vem do EWG https://www.ewg.org/skindeep/ingredients/700658-behentrimonium-methosulfate/
      Ao que parece ele não é 100% biodegradável e seus resquícios podem fazer mal a vida marinha.
      Além do que, pessoas mais sensíveis podem apresentar reações alérgicas.
      Contudo, no painel dos especialistas (CIR – Cosmetics Ingredients Review) ele é considerado um ingrediente seguro se usado dentro das quantidades estabelecidas.
      A gente testou BTMS em alguns produtos diferentes para a formulação do EBOOK de cosmética capilar. Nós e as pessoas que testaram os produtos pra gente gostamos do resultado e não apresentamos nenhuma reação.
      Espero ter ajudado. Um abraço

      1. Olás, obrigada pela rápida resposta. Ajudaram bastante, não conhecia o EWG e achei várias coisas interessantes lá.
        Mas não achei essa questão do ambiente marinho ou da degradabilidade. Tem alguma área específica do site que fala isso?

    1. Olá, querida!
      O Olivem 1000 é uma cera/surfactante não iônico. Já a BTMS é catiônica e, portanto, consegue ser adsorvida pelo cabelo, formando uma pelicula na superficie. Quando você faz essa substituição estará perdendo essa caracteristica que é essencial nos condicionadores.

      Um abraço

Deixe uma resposta