O shampoo pastilha é uma excelente opção para quem não se adapta com o shampoo sólido saponificado. Diferente do shampoo saponificado, o shampoo pastilha tem o pH entre 5,5 e 7, ou seja, é mais próximo do pH do cabelo. Vamos entender um pouco mais sobre seu funcionamento e formulação.

Para formular sua receita você precisar de surfactantes aniônicos. Existem vários tipos de surfactantes diferentes, uns mais agressivos outros mais suaves, por exemplo:
– SLC (Lauril Sulfato de Sódio): muito comum na cosmética, agressivo ao corpo humano e ao meio ambiente
SCI (Isetionato de Sódio): surfactante mais suave

Observação

O SCI não é liberado na lista da COSMOS, por conta do seu processo de extração. Porém, o SCI é biodegradável e super suave, sendo recomendado para uso em sabonete de bebês.

Outro ingrediente primordial é a Cocoamidopropil betaína, é um tensoativo anfótero betaínico muito usado na fabricação de cosméticos. Quando usado em mistura com pH menor que 7 tem efeito condicionante

Observação

Sua receita pode conter apenas um surfactante primário, como o SCI, ou pode conter surfactantes complementares.

INGREDIENTES ADICIONAIS:

  • Glicerina vegetal: que é um excelente umectante.
  • Manteigas e óleos vegetais: em quantidades proporcionais às características do cabelo, por exemplo, se o cabelo for mais seco a quantidade é maior, e em menor quantidade quando o shampoo for pra cabelo oleoso.
  • Álcool cetílico: funciona como agente endurecedor, é um álcool graxo sólido. De origem natural, é produzido a partir dos óleos vegetais de coco ou de palmiste. É um excelente emoliente, agente estabilizante e doador de consistência. Você substituir pelo ácido esteárico.
  • D-pantenol vegetal: é um álcool que penetra lentamente através da haste capilar, acumulando-se nos fios e atingindo a raiz dos cabelos, onde é metabolizado. 
    Proporciona uma hidratação de longa duração, melhora a maleabilidade, espessa os fios, reduz a formação de pontas duplas, melhora a condição dos cabelos agredidos e danificados e proporciona brilho.
    Porcentagem de uso indicada no shampoo: 0,5 a 4%
  • Óleos essenciais: para adicionar aroma e propriedades terapêuticas.
  • Conservante: É necessário usar conservante mesmo sendo um produto sólido, pois o shampoo pastilha não é tão alcalino quanto o shampoo saponificado, então não tem autopreservação.  
    Usamos o conservante Nipaguard, liberado na cosmética natural.

Outros aditivos naturais são bem-vindos à formulação de shampoo pastilha, como argilas, ervas em pó, flores secas, dolomita, shikakai, pó de juá.

Atenção!

Apesar dos processos de fazer shampoo saponificado e shampoo pastilha serem completamente diferentes, ambos os processos EXIGEM CUIDADOS com a higiene e o uso de EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO.


Espero que vocês tenham gostado desse post, qualquer dúvida você pode deixar um comentário.

Assista o vídeo com este conteúdo abaixo:

Publicado por:Espiral de Ervas

feito por Marcella Lemos e Ana Velho

23 comentários sobre “Shampoo pastilha – funcionamento e formulação

      1. Bom dia! Tenho uma dúvida, no lugar do álcool cetilico, podemos utilizar o álcool cetoestearilico?
        Se positivo, teria alguma alteração no resultado final do shampoo? Obrigada!

  1. Olá Meninas! Simplesmente amoooo o trabalho de vcs… A seriedade com q tratam a formulação dos produtos com muito estudo e pesquisas… Show!!!
    Mas tenho uma dúvida: Entusiasmei e adquiri uns aditivos e todos são líquidos ( me disseram q são todos de origem vegetal):

    Proteina da Seda
    Proteina do Trigo
    Proteina da Soja
    Proteina do Leite
    Queratina Vegetal
    Colageno Hidrolisado
    D-Pantenol
    Complexo de Aminoácidos Vegetais

    Mas são todos líquidos… Estou na dúvida de como utilizá-los no shampoo pastilha… Tem como? E como fazê-lo? Vcs sabem? Não vai ter e-book de shampoo? Difícil achar informações sobre… Dos sem saponificação… Os outros vou adquirir agora…

    PS: Isso aqui ficou tipo uma carta..😬

    Gratidão desde já!!!

    Karina Souza

    1. Olá, Karina!
      Esses aditivos que você adquiriu são bem legais. Dessas proteinas a única que eu já trabalhei foi a de trigo, adicionei 2% na fórmula e ficou ótimo. O d-pantenol sempre uso também e gosto de colocar 1-3%. Nunca trabalhei nem com o colágeno e nem com a queratina.
      Quanto aos produtos serem liquidos. Você deve levar isso em consideração quando adicionar em alguma receita que já existe. Por exemplo, se você que adicionar algo liquido, precisa substituir por algo que seja liquido da receita, como por exemplo óleo vegetal, água, glicerina ou até um surfactante liquido como é o caso da betaina.

      Sobre o ebook de shampoo pastilha. Sim, estamos trabalhando para que esse ebook de shampoo pastilha seja materializado em 2021. Mas para isso ainda estamos adquirindo materiais primas variadas para realizar muitos testes por aqui 🙂

      Obrigada pelo carinho e pela confiança no nosso trabalho.
      Forte abraço

  2. Gurias, já li que o projeto é ebook.
    Tô só esperando, ansiosa!!!!!!!!!!!!!!
    O trabalho de vocês é espetacular, amoooo!
    Obrigada.

  3. Olá! pode me dizer qual a principal diferença entre SCI e soda caustica em escamas? Comprei essa segunda e como sou inexperiente tenho duvida de se trata da mesma coisa.

    1. Olá, Paula!

      O SCI e a soda cáustica em escamas tratam-se de coisas completamente diferentes.
      A soda cáustica (também chamado de hidróxido de sódio) é o que usamos para saponificar os óleos e manteigas vegetais para fazer sabonete. Algumas pessoas também fazem xampunete, porém esses produtos sempre terão pH alcalino entre 8-10.
      Já o SCI que é abreviação para Isetionato de Sódio, trata-se de um surfactante aniônico derivado do óleo de coco que é usado para fazer o shampoo pastilha que tem o pH ajustado ou ajustável ao pH capilar.
      Um abraço

  4. Bom dia!! Muito obrigada pelo conteúdo!!
    Gostaria de saber se há algum substituto para o SCI biodegradável, certificado pelo cosmos, ecocert…
    Obrigadaaa

  5. Olaa, eu amei a receita e gostaria muito de testar; queria saber se há espaço, nessa fórmula, para utilizar extrato glicólico, pois comprei o extrato de jaborandi e queria muito utilizar ele no cabelo.

Deixe uma resposta