Acima de tudo, temos estudado mais a fundo os ingrediente usados na composição de nossos produtos. Dessa forma podemos melhorar ainda mais o conteúdo que trazemos até você.
Vamos começar conhecendo o ingrediente SCI já que muita gente estranha ao ver o nome álcool sendo parte da composição de nossas formulações. Assim, a primeira coisa importante sobre ele é saber que, quimicamente falando, trata-se de um éster de sal de sódio que tem função surfactante com carga negativa, ou seja, aniônico.

Conhecendo o ingrediente: Quem é o SCI?

Ele é um agente de limpeza suave o suficiente para a pele delicada de bebês sendo um surfactante ideal para maquiagem, bem como produtos de higiene pessoal. Sua propriedade emulsificante permite que água e óleo se misturem e o torna um ingrediente popular em sabonetes e xampus, pois estimula a sujeira a se prender a eles, o que, por sua vez, facilita a lavagem. 

Como é o SCI?

Encontra-se o SCI sobretudo em forma sólida: pó, prills (Jordapon) ou em escamas. A fim de incorporar Cocoil Isetionato de Sódio em prills ou escamas a uma formulação recomenda-se aquecer lentamente em fogo baixo para permitir a fácil mistura com outros surfactantes. Dessa forma evita-se o excesso de espuma que pode ocorrer ao usar o liquidificador para misturar todos os ingredientes de uma vez e por fim adiciona-se a mistura de surfactante ao resto da formulação.

Se você estiver fazendo um produto sólido, geralmente pode trabalhar com o SCI no estado em que se encontra, dependendo do formato. Se você tem flocos grandes e a formulação pede a versão em pó, você deve triturar previamente (use sua máscara contra poeira!). Mas os pequenos noodles ficam muito legais em barras de xampu como estão, e o pó fino é muito flexível!

Antes de mais nada, ao manipular um produto líquido com Isetionato de Cocoil de Sódio (SCI), dissolva-o em um solvente adequado. Vale ressaltar que ele não se dissolve rapidamente na água. Certa vez, misturei um pouco com água em uma jarra, selei e deixei por 6 meses. Nunca se dissolveu. Recomendo combiná-lo com o surfactante anfotérico líquido que provavelmente também está presente na receita e aquecer os dois juntos em banho-maria até obter uma pasta uniforme. A pasta se dissolverá em água.

Se você estiver trabalhando em uma grande quantidade, pode acelerar as coisas junto com um mixer. O baixo teor de água significa que não vai formar espuma, mas você obterá uma pasta lisa muito rapidamente! Você também pode acelerar o processo passando o SCI por um moedor de café antes de combiná-lo com o surfactante anfotérico líquido. Apenas certifique-se de usar sua máscara contra poeira!

Como aumentar a solubilidade?

Quando você está derretendo SCI, existem algumas coisas que você pode fazer para aumentar a solubilidade e o tempo de derretimento. Você pode adicionar alguns surfactantes aniônicos, ou alguns surfactantes não iônicos como os glicosídeos (como o Plantarem). Minha primeira escolha é sempre cocamidopropil betaína pois ela aumenta a suavidade da mistura de surfactantes!

Você pode preparar uma pasta de SCI e cocamidopropil betaína (2 partes de SCI para 3 partes de cocamidopropil betaína) e armazená-la na geladeira. Dessa forma, poderá pular a etapa de dissolução quando for preciso incluir o SCI em um produto líquido. Observe se há SCI misturado com ácido esteárico (o INCI listará o ácido esteárico). Esse não é o mesmo produto!

espuma do shampoo pastilha com SCI
Espuma do Shampoo feito com SCI
Todas as versões do SCI contêm ácidos graxos, como o ácido esteárico.

Todo os SCI contém alguns ácidos graxos que sobram dos ácidos graxos do coco usados ​​para criá-los. Alguns têm mais, alguns têm menos, mas todos eles têm um pouco de ácido graxo restante no processo. O ácido graxo ajuda a aumentar a suavidade de nossos produtos e pode ser a razão pela qual é tão agradável em nossa pele. Esses ácidos graxos incluem o ácido esteárico? Possivelmente. O óleo de coco não possui muito ácido esteárico, contém principalmente ácido láurico, que tem uma grande afinidade com o cabelo, e ácido mirístico, com uma amostra grátis de outros ácidos que estão ali só para se divertir! Mas poderíamos encontrar qualquer um dos ácidos graxos encontrados no coco no produto final do SCI. Quanto mais sólida a forma, mais ácidos graxos ela conterá, menor será a matéria surfactante ativa.

shampoo pastilha sólido com SCI
Shampoos feitos com SCI – Ebook Cosmética Capilar

Sempre use uma máscara ao usar surfactantes em pó para não espirrar bolhas o dia todo!

Informação de Segurança:

A segurança do cocoil isetionato de sódio foi avaliada pelo painel de especialistas Cosmetic Ingredient Review (CIR). O Painel de Especialistas do CIR avaliou os dados científicos e concluiu que o Cocoyl Isetionato de sódio era seguro para uso como ingrediente cosmético em 50% em produtos com enxágue e 17% em produtos sem enxágue.

Revisão de Segurança CIR: A maior concentração de Cocoil Isetionato de Sódio testada como produto de enxágue foi de 49,87%. A maior concentração de isetionato de cocoil de sódio testada como produto sem enxágue foi de 17%. Portanto, o Painel de especialistas do CIR usou essas concentrações para tirar suas conclusões sobre a segurança. O painel de especialistas do CIR comentou que o ingrediente pode causar irritação ocular com base em sua estrutura química.

Então, gostou de conhecer o ingrediente SCI? Também temos receita de Shampoo pastilha com 5 ingredientes e Shampoo sólido – 7 ingredientes.

Por fim, assista o vídeo para com mais informações:

Em suma, esperamos que você tenha gostado desse post e qualquer dúvida ou sugestão você pode deixar um comentário.

Então a gente se vê no próximo post! Até lá.

Por Marcella Lemos e Ana Velho.

Revisão Bibliográfica:

James Sun et al. Solubilization of Sodium Cocoyl Isethionate. Acesso em: 20 maio 2021. Cosmetics Info. Sodium Cocoyl Isethionate. Acesso em: 20 maio 2021.

Publicado por:Espiral de Ervas

feito por Marcella Lemos e Ana Velho

8 comentários sobre “Conhecendo o ingrediente SCI

    1. oi!!! não existe uma legislação que imponha o conceito do que é 100% natural. Se para vc natural é apenas o que se encontra na natureza em seu estado bruto, nem oleos vegetais e nem essenciais são, pois passam por processos quimicos de prensagem, destilação, etc. Para tentar homogenizar o conceito abstrato de natural, foram criadas certificadoras internacionais que testam e citam materias primas que sao consideradas biodegradáveis, sintéticas porem de origem natural (caso dos conservantes, que são indispensáveis em cosmeticos, e nao existe nada que os substitua), e proibem materias primas derivadas de petroleo, de origem animal, ou q nao sao consideradas biodegradáveis (caso do BTMS). Nós, ao formular, buscamos usar os parametros das certificadoras internacionais (leia mais sobre elas: COSMOS, IBD, ECOCERT) para que nossa formulaçao fique o mais natural dentro do que é possível e seguro. Pois não é seguro passar um creme no rosto sem conservantes, mas cheio de fungos e bacterias na pele, não é seguro usar sabonete saponificado em regiões intimas, ou que a pele esteja ferida. E por aí vamos, longo debate ético e moral ehehehe Beijos

      1. Voces podem ampliar um pouco aí sobre ” sabonete saponificado nas partes intimas” ? Obrigada!

      2. Então, eu (Thais) vou te falar como biomédica ok? O ph da região intima é em torno de 3 – 3,5. Nesse pH as bactérias e leveduras que fazem parte da nossa microbiota natural se proliferam, e nos protegem de microorganismos patogênicos. Se houver um desequilibrio no pH, a microbiota também será afetada, pois o ambiente já não é mais propício para o crescimento e desenvolvimento saudável delas. Dessa forma, as bacterias e leveduras patogênicas encontram um bom meio pra crescerem e começam a causar doenças envolvendo a região intima (candida, giardia, gardnerela, etc) Por isso não é indicado sabonete saponificado para a região intima, o ph de 9 a 10 causa alcalinização no pH da região intima e dependendo da imunidade da pessoa, pode demorar para se recompor ao ph natural, ainda mais se a mulher já for colonizada. Espero que tenha dado pra entender! Beijos

  1. Obrigada, Taís! Deu sim. Como produzir um sabonete natural nesse ph? O liquido ( com potassa) chega no PH 5,por aí,nao? Tem algum conteudo no canal sobre produçao de sabonete íntimo? Vou ver na lupa. Caso nao tenha, seria uma boa sugestao de pauta. Valeu!

Deixe uma resposta