Olá, no post de hoje vamos mostrar na prática as diferenças entre um Sabonete Natural feito com Óleo de Palma Refinado e com Óleo de Palma Prensado à Frio também conhecido como Azeite de Dendê. E então, Palma no Sabonete Natural: Refinada ou Bruta?

Aqui no espiral usamos muito o Óleo Vegetal de Palma refinado, certamente para conferir dureza aos nossos sabonetes. E nossos inscritos sempre perguntam qual é a diferença entre eles. Então hoje vamos falar um pouco dessas diferenças e também vamos mostrar e comparar dois sabonetes feitos com a mesma receita e com o mesmo método (Hot Process), porém usando um tipo de Óleo de Palma diferente em cada fórmula.

Há um tempinho fizemos um post com o propósito de falarmos sobre os Óleos Vegetais e seu perfil de Ácidos Graxos, relembre essas informações aqui.

Sobre os óleos

O Óleo de Palma é o mesmo Óleo de Dendê, no entanto, costuma-se utilizar o termo “óleo de palma” para o refinado e “óleo de dendê” para o bruto. Ambos são extraídos da polpa do fruto.

Devido à presença de antioxidantes naturais (tocotrienóis) e seu baixo teor de ácido linolênico (C18:3) este óleo é altamente estável ao processo de oxidação. Seu estado semi-sólido à temperatura ambiente ou em alguns casos com separação de fases se deve a sua composição peculiar de ácidos graxos com cerca de 50% de ácidos graxos saturados, 40% de monoinsaturados e 10% de poli-insaturados. Por não serem submetidos a processos de hidrogenação artificial são livre de ácidos graxos trans.

Palma: Refinada à esquerda e Bruta à direita
Palma: Refinada à esquerda e Bruta à direita

A primeira grande diferença entre eles está na aparência, na cor e no aroma. Certamente nem parece que são o mesmo óleo. Essa versão branca que parece uma manteiga é a refinada e é a mais usada pela indústria alimentícia e cosmética, pois não altera a cor ou o aroma do produto final.

Já a versão prensada a frio, é parte marcante da cultura brasileira, pois é usado para dar sabor e aroma para muitos pratos típicos como por exemplo a moqueca. Além disso ele também é usado em produtos de beleza por suas propriedades. É rico em vitaminas A e E..

Composição de Ácidos Graxos

Ambos possuem composição de ácidos graxos semelhante, sendo o Dendê mais rico em Palmítico que o Refinado.

  • Oleico                                    38 a 40%  
  • Linoleico                                09 a 11%
  • Palmítico                                43 a 45%
  • Esteárico                                04 a 05%

Óleo de Palma Prensado à Frio (Dendê)

Esses são os dados oferecidos pela Destilaria Bauru das características Físico-Químicas do Óleo de Palma Prensado à Frio (Dendê) comercializado por eles.

O Óleo de Palma Bruto apresenta-se na forma líquida, quando a temperatura ambiente, apresentando forte coloração alaranjada/avermelhada e odor característico. Quando em respouso por algum tempo, pode apresentar um depósito de “pó branco” ao fundo, sendo este o ácido esteárico presente naturalmente no óleo.

Óleo de Palma Prensado à Frio
Óleo de Palma Prensado à Frio

Óleo de Palma Refinado

Esses são os dados oferecidos pela Destilaria Bauru das características Físico-Químicas do Óleo de Palma Refinado comercializado por eles.

O Óleo de Palma Refinado apresenta-se na forma pastosa, quando a temperatura ambiente, apresentando uma coloração esbranquiçada. Ao passo que, quando líquido é um óleo de cor levemente amarelada.

Óleo de Palma Refinado
Óleo de Palma Refinado

Receita usada no experimento

140g de Azeite de Oliva (38,36%)

120g de Óleo de Coco (32,88%)

105g de Óleo de Palma (28,77%)

52g de Soda Cáustica

120g de Água Destilada

0,5g de Oleoresina de Alecrim

A saber, a receita foi calculada usando 30% de concentração de Soda e 6% de superfat, com rendimento total de aproximadamente 550g de cada massa.

Blend de Óleos Essenciais (opcional)

Realizamos o método de Hot Process para obtenção dos sabonetes naturais. Como nosso intuito com esse post não é demonstrar o método e sim observarmos as diferenças entre os óleos e os produtos gerados por ele, hoje não teremos um passo a passo. Porém, temos uma extensa Playlist no nosso Canal do YouTube só sobre Hot Process (baixa temperatura e alta temperatura), você pode assistir alguns vídeos com o propósito de aprender sobre este método. Da mesma forma, lançamos um E-book sobre Hot Process que está disponível na nossa Loja Online, veja ele aqui.

Logo após finalizado o cozimento, o aspecto das massas está retratado à seguir:

Dividimos nossa forma ao meio ao enformar (usando um pedaço de papelão envolvido com durex) a fim de submetermos ambos ao mesmo tempo de endurecimento na forma:

Detalhe da divisória
Detalhe da divisória

Dessa forma, ao desenformar este foi o resultado:

Desenformado e lindo
Desenformado e lindo

Análise do uso da Palma no Sabonete Natural

Nenhuma diferença no trace ou no processo de saponificação foi observada. Tivemos um “vulcão rebelde” quando fizemos o Sabonete de Dendê, mas que está relacionado ao fato de termos aproveitado as sobras do primeiro sabonete. Sabemos que o sabonete usado no início do Hot Process atua como surfactante, então ele acelerou o vulcão. Essas coisas acontecem até com quem tem anos de prática, por isso reforçamos sempre os cuidados que se deve ter na Saboaria Natural. Veja esse post sobre 5 coisas que aprendemos em 5 anos de Saboaria.

Massas durante o cozimento de Hot process

Nenhuma diferença foi notada no sentido dureza no momento de corte das barras de Sabonete Natural.

O sabonete feito com o dendê apresentou forte coloração laranja, mas essa coloração desbota com o tempo. O sabonete com Óleo de Palma Refinado não apresentou alterações na cor do produto final.

Sabonete de Palma Refinada à esquerda e Bruta à direita
Sabonete de Palma Refinada à esquerda e de Dendê à direita

Dessa forma, iremos disponibilizar uma atualização daqui um tempo para observarmos esse desbotamento do Sabonete de Dendê.

O aroma, bastante característico, do azeite de dendê, permaneceu após a saponificação, mas ficou suave e disfarçado pelo uso de óleos essenciais.  O sabonete com Óleo de Palma Refinado não apresentou alterações no cheiro do produto final.

Como resultado, a espuma também foi semelhante, estável e cremosa, sendo a espuma do Sabonete de Dendê alaranjada devido à cor do óleo.

Teste de Espumação: à esquerda Palma Refinada e à direita Dendê

Observação

O efeito marmorizado dos sabonetes ocorreram pois usamos uma alta concentração de óleos duros na formulação. Assim, ao esperarmos a massa esfriar um pouco para adicionarmos os óleos essenciais, o resfriamento é mais rápido em alguns pontos, e ao mistura-los, forma uma espécie de marmorizado na massa, que deve diminuir com o passar da cura. Mas ficou tão lindo né?

Você pode acompanhar o vídeo do experimento aqui:

E então, o que você achou do nosso experimento? Esperamos que você tenha gostado, e que tenha te ajudado a entender um pouco mais sobre Saboaria Natural, assunto recorrente por aqui e que amamos demais!

Em suma, esperamos que você tenha gostado desse post e qualquer dúvida ou sugestão você pode deixar um comentário.

Então a gente se vê no próximo post! Até lá.

Por Marcella Lemos e Ana Velho.

Publicado por:Espiral de Ervas

feito por Marcella Lemos e Ana Velho

Um comentário sobre ldquo;Palma no Sabonete Natural: Refinada ou Bruta?

Deixe uma resposta