Olá, no post de hoje falaremos sobre a diferença de absorção entre os diferentes óleos vegetais, e faremos um comparativo que de fato é bem interessante: Óleos que Penetram X Óleos que Revestem.

Com o desgaste causado pelo tempo, atrito e a exposição ao sol, nosso cabelo certamente perde umidade. Fios secos e quebradiços, pontas duplas, frizz, opacidade e perda de definição dos cachos eventualmente afetam a saúde geral de nosso cabelo.

A oleosidade repõe os lipídios naturais do cabelo, já que preenchem a cutícula e fortalecem os fios. De fato, melhoram visivelmente a condição do cabelo, resultando em cabelos mais macios, brilhantes e definidos.

Emolientes

Os óleos vegetais são emolientes usados ​​para amaciar o cabelo ou adicionar “plasticidade” ou flexibilidade. O cabelo flexível então, se curva mais facilmente sem quebrar. Nesse sentido, o cabelo com óleos aplicados a ele se alinha melhor com os fios vizinhos graças às propriedades lubrificantes dos óleos (deslizamento). Isto é, os óleos geralmente aumentam o brilho

Já fizemos um vídeo essa semana explicando que óleo vegetal não hidrata, mas tem efeito indireto para mantê-lo hidratado. Assista esse vídeo aqui

Óleos que Penetram X Óleos que Revestem

Nesse sentido, para entender quais óleos penetram mais precisamos avaliar sua cadeia de carbono e as ligações presentes na mesma.

Óleos saturados ou monosaturados tendem a penetrar enquanto os óleos polinsaturados tendem a revestir os fios. Isso acontece porque os monoinsaturados (possuem uma ligação dupla) e os saturados (não possuem ligação dupla) tem uma estrutura mais simples, linear e curta, facilitando a penetração na estrutura capilar.

Se o seu cabelo precisa de muito amolecimento e proteção contra o inchaço na água, os óleos de penetração mais profunda são certamente a melhor escolha. Mas se o seu cabelo estiver em boas condições, ter óleos que residam apenas nas camadas mais externas da cutícula lhe trará mais benefícios.

Triglicerídeos e penetração no cabelo

Um macete para saber se um óleo penetra ou não no cabelo é a quantidade de triglicerídeos e ácidos graxos de cadeia curta que ele contém, bem como a forma como os componentes dos triglicerídeos estão dispostos. As moléculas de lipídios precisam ser pequenas para penetrar no cabelo (menos de 20 átomos de carbono), mas essa não é a única variável. Os óleos não são compostos apenas de um tipo de gordura (vamos chamá-los de lipídios porque soa mais bonito), e eles são compostos de muitos “ingredientes” lipídicos diferentes. Triglicerídeos são, então, 3 moléculas de ácido graxo ligadas a uma “espinha dorsal” de glicerol. Os lipídios de cadeia curta (mesmo que não sejam triglicerídeos) geralmente são cadeias retas sem ramificações, tornando-os pequenos e compactos.

Além disso, os componentes dos triglicerídeos nos óleos vegetais podem ser polares (com carga ligeiramente positiva) e isso permite que sejam atraídos pelas proteínas polares (com carga negativa) do cabelo. 

Normalmente os óleos são apolares e este é certamente um grande diferencial na química: possuir uma interação eletrostática (+ e -) versus apenas possuir um pouco de óleo formando uma película sobre seu cabelo. Isso, de fato, ajuda os triglicerídeos a serem puxados ativamente através do complexo cutícula/membrana da superfície dos fios de cabelo até as porções internas. 

Óleos que Penetram

Antes de mais nada, os óleos são compostos por diferentes quantidades de ácidos graxos. Em síntese, os óleos que penetram no cabelo tendem a conter grandes quantidades de ácidos graxos como: ácido láurico, caprílico, palmítico, mirístico, oleico e linoleico. Alguns dos óleos que certamente possuem maior penetração nos fios são:

  • Oliva 
  • Coco Praia 
  • Coco Babaçu 
  • Manteiga de Murumuru
  • Manteiga de Ucuuba
  • Óleo de Abacate

Óleos que Revestem

Os óleos vegetais poliinsaturados terão mais dificuldade em penetrar na cutícula e, por isso, permanece no topo do cabelo, revestindo-o, aumentando o deslizamento, melhorando a maciez e a maleabilidade. Esses óleos certamente são bons para vedar a umidade. São eles:

  • Óleo de jojoba
  • Óleo de Semente de Uva 
  • Manteiga de cacau

Como escolher o que eu preciso?

Os óleos capilares funcionam bem como produto de acabamento quando aplicados em cabelos secos, reduzindo a aparência de pontas duplas e frizz, danos visíveis e criando fios mais macios e brilhantes. E é por isso que utilizamos óleos vegetais na nossa rotina de cuidados!

Quase qualquer óleo ajuda a repelir a água, mas eles o fazem depositando-se em seu fio como uma película, ou mergulhando levemente e penetrando na haste do cabelo.

Nesse sentido, se você possui cabelo seco, poroso, de aspecto áspero ou áspero, vai adorar os óleos penetrantes. Seu fio pode ter ficado poroso devido aos danos ambientais (sol, calor, ferramentas de modelagem quentes, vento), e você certamente irá se adaptar bem aos óleos penetrantes, pelo menos nas pontas do cabelo. 

Se você tiver cabelos finos ou macios, que são facilmente condicionados em excesso, esses mesmos óleos podem fazer seu cabelo ficar oleoso e escorrido, a menos que sejam usados ​​em quantidades muito pequenas. No entanto, cabelos com porosidade mais baixa podem se dar melhor com misturas de óleos penetrantes e óleos menos penetrantes.

A saber, os óleos que penetram tornam as proteínas do cabelo mais hidrofóbicas (repelem a água). Nesse sentido, cabelo forte e saudável é naturalmente hidrofóbico e cabelo normal e de porosidade mais baixa é pouco hidrofóbico. Portanto, hidrofobicidade (repelente à água) é uma questão de equilíbrio.

Gorduras que penetram e revestem
Gorduras que penetram e revestem

Então podemos prever o comportamento de qualquer óleo no cabelo de qualquer pessoa?

Não. Você não saberá se seu cabelo vai se adaptar sem dar uma chance ao teste. Existem várias opiniões sobre quais óleos são os melhores para o cabelo, ou seja cabe a você decidir quais óleos funcionam melhor para o seu cabelo. 

Tabela

Encontramos uma tabela bem bacana no site Science Hair Blog, assim sendo, resumimos e traduzimos para vocês. Dessa forma, os óleos estão organizados em Maior Penetração (+++), Média Penetração (++) e Mínima Penetração (+).

ÓleoPenetração% de Lipídeos Penetrantes
Côco de Praia+++95%
Ucuuba+++Desconhecido
Girassol+++91%
Babaçu+++100%
Oliva+++94%
Abacate++99%
Argan++98%
Cacau e Karité++98%
Semente de Uva++99%
Jojoba+Menos de 1%
Óleos que penetram X Óleos que revestem

Por fim, assista também ao vídeo que gravamos falando sobre o assunto:

E então, você conhecia essa diferença entre a ação dos óleos nos fios de cabelo? Gostou desse conteúdo? Se quiser que a gente compartilhe formulações de óleos capilares para os cabelos, deixa um comentário!

Em suma, esperamos que você tenha gostado desse post e qualquer dúvida ou sugestão você pode deixar um comentário.

Então a gente se vê no próximo post! Até lá.

Por Marcella Lemos e Ana Velho.

Referências Bibliográficas

Science Hair Blog. Oils – Which Ones Soak In vs. Coat the Hair?. Acesso em: 17 setembro 2021.

Hair Growth Lab. Penetrating vs Sealing Oils For Hair. Choose the Right Oil!. Acesso em: 17 setembro 2021.

Pubmed. Brazilian oils and butters: the effect of different fatty acid chain composition on human hair physiochemical properties. Acesso em: 17 setembro 2021.

Publicado por:Espiral de Ervas

feito por Marcella Lemos e Ana Velho

3 comentários sobre “Óleos que Penetram X Óleos que Revestem

Deixe uma resposta